22/12/2009

UMA REFLEXÃO SOBRE A VERDADEIRA COLHEITA FELIZ


Temos presenciado em nossos dias a propagação explosiva da informática. Uma expansão tão rápida que rompera as barreiras das classes sociais onde, a princípio, só os mais abastados podiam desfrutar da tecnologia e suas nuanças. Esse perfil tem mudado tão rápido quanto a própria expansão tecnológica. Hoje, qualquer pessoa tem acesso à internet que se faz disponível a qualquer um, em qualquer “lan house” de esquina. Os relacionamentos distantes se estreitaram através da tecnologia digital.

Através desta ferramenta, reencontramos familiares, parentes, amigos, fazemos novas amizades. Transformamo-nos em verdadeiros cidadãos do mundo, sem sairmos dos limites do nosso quarteirão residencial.

Uma grande febre dos internautas brasileiros que tem sido uma ferramenta hábil para este estreitamento de relacionamentos é o conhecido site de relacionamento ORKUT. Esta homepage ultimamente tem inovado, diversificando sua oferta de entretenimento, inserindo atratividades para os seus associados através do lançamento de uma série de entretenimentos dos quais uma tem se destacado entre os usuários. É uma verdadeira febre. Trata-se da “COLHEITA FELIZ”.

Este consiste em brincar de ser fazendeiro onde o usuário recebe inicialmente uma modesta fazendinha e o objetivo é expandi-la através da venda e compra de produtos nela cultivada.

Eu, após observar meus filhos concentrados em tal entretenimento, a convite de um deles, após uma superficial explicação de como funcionava, resolvi ter minha própria fazendinha. Seria uma brincadeira simples e saudável para desopilar.

Porém, há algo que me chamou a atenção neste entretenimento!

Ainda inexperiente, estranhei quando quase toda a minha produção da horta cultivada não estava mais lá. Ao que o meu filho sorrindo me alertou: “O senhor foi roubado”, e me explicou como era.

O fazendeiro virtual pode acessar (entrar) a fazenda de uma outra pessoa e roubar sua colheita para vender para si, enriquecendo (virtualmente) ilicitamente.

Eu fiquei indignado! Meu filho então me desafiou:

“Papai, veja quem te roubou, vá à fazenda dele e roube-o também ou então roube de outro.”

Apesar da minha indignação, pude parar para refletir sobre o caso em questão e pensei comigo: Porque pagar na mesma moeda se eu sou um cristão e a Palavra de Deus nos instrui a tratar o mal com o bem?

Resolvi então deixar uma mensagem de repreensão sobre o “CARÁTER CRISTÃO” aos irmãos que haviam roubado a colheita da minha fazenda virtual.

Um amado irmão em Cristo que recebeu a mensagem, após um rápido diálogo, reconheceu sua falha e declarou:
“... eu não roubava a ninguém, mas fiquei indignado por ter sido roubado e ai fui roubar também...”
Minha filha, que estava ao meu lado acompanhando o meu diálogo com o meu irmão em Cristo, criticou-me com ar de deboche declarando que era apenas uma brincadeira e que tal atitude labirau fazia parte da mesma.
É justamente neste ponto onde entra o núcleo de minha reflexão a respeito de um “CARÁTER CRISTÃO”.
Sé é apenas um entretenimento, uma brincadeira, porque então despertou em mim e no meu irmão em Cristo (e certamente tem despertado em muitas outras pessoas) tamanha indignação, ira e desejo de vingança por ter sido furtado?

A resposta é:
Porque o pecado que está enraizado em nosso corpo caído não “brinca nem em brincadeira”. Para o pecado não existe entretenimento, ele leva a sério tudo o que possa contaminar e afrontar a santidade de Deus.
Se o pecado leva tudo a sério em sua missão de contaminação, porque, como cristão que sou, tenho que deixar de lado um caráter de santificação cristã em detrimento de uma brincadeira?
Não! A observância de um CARÁTER CRISTÃO deve ser vivido até mesmo nos entretenimentos, deve ser vivido em todas as áreas da vida, em todas as suas instâncias, em todas as suas ações e reações.
Se o pecado leva tudo a sério o cristão também deve levar o CARÁTER CRISTÃO a sério em tudo.

Então um cristão não pode brincar ou se entreter?
Não se trata disso. O cristão pode e deve porém, isso não significa renunciar um CARÁTER CRISTÃO.
Porque não brincamos a saudável brincadeira de ajudar virtualmente o próximo, demonstrando um CARÁTER CRISTÃO de amor, ao invés roubarmos ou de espalharmos pragas e fungos destruidores?

Sabe por que não se faz isso? Porque, como disse minha filha, os cristãos estão vendo apenas como uma ingênua regra de brincadeira sem levar em consideração que as reações de indignação e tentação que geram lá dentro da gente não é virtual, é muito mais sério e real de que se possa imaginar. Por que o pecado não está para brincadeira. Ele não opera no campo virtual. Ele opera no coração do homem.

Portanto, que possamos refletir sobre a prática do CARÁTER CRISTÃO em todas as aéreas de nossa vida, até mesmo em uma ingênua brincadeira e entretenimento, lembrando que o pecado em momento algum brinca.
Que a conduta dos VERDADEIROS servos de Deus seja de viver e demonstrar um verdadeiro CARÁTER CRISTÃO em sua vida, vencendo a influência do pecado através de uma vida de santificação. Assim sendo, viveremos além do virtual, uma verdadeira COLHEITA FELIZ.

“Eis que temos por felizes os que perseveram firmes”
Tiago 5.11

Missionário Josemar A. de Carvalho
Igreja Presbiteriana de Boqueirão-PB
---xx---
Estas palavras foram escritas pelo irmão Josemar, logo após um diálogo que tivemos sobre esse joguinho "Colheita Feliz". Agradeço a Deus pelas belas palavras desse amado irmão, que me alertou e tenho certeza que irá alertar a muitos.
Deus nos abençoe. E até a próxima se Deus quiser

11 comentários:

Ander Policardi disse...

A Paz do Senhor Jesus Cristo, missionário Josemar A. de Carvalho, gostei muito dessa tua matéria sobre a colheita feliz, e exatamente o que eu estava precisando. E aproveitando, gostaria de lhe pedir autorização, para publica-la em jornal impresso e programa de radio. Atenciosamente: Diac. Ander Policardi e-mail/msn: anderpolicardi@hotmail.com ou www.despertarcomcristo.blogspot.com

André Gomes disse...

Olá Ander, aqui é Rev. André. Estarei entrando em contato com o nosso irmão missionário Josemar sobre isto, mas desde já, pelo que conheço o Josemar ele vai ficar muito feliz. Abraço

Pr Alessandro Garcia disse...

A paz do Senhor.
Sugiro ao irmão que envie este texto a todos os amigos do orkut e pessa-os para passar adiante. O cristão tem que se esforfar por manter os bons princípios cristãos.

Anônimo disse...

Graças À Deus alguém enchergou o que está nesse jogo, eu não me conformo de ver "Pastores" "roubando" seus amigos e achando que isso é normal, AH!! é roubo virtual,(Os roubadores não herdaram o Reino dos Céus) mas só se vc roubar de verdade.Esses "PAstores" e "Líderes" devem fazer o seguinte, olha filho vc só pode roubar virtualmente, mas de verdade não pode, vc só pode se vingar de quem te roubou "virtualmente",roubando também, mas a vingança que pertence À DEus é só no muindo real, como se o sentimento interno fosse diferente.

Simone disse...

Meus PArabéns ao Pastor Josemar, que coisa, como o inimigo trabalha na vida dos crentes, e els acham normal.Até escuto alguns "Cheios" de orgulho "santo" dizer assim: Não bebo..não fumo..não danço..e aí caem no laço do diabo direitinho.
Glória À Deus por pessoas como vcs, que o Espirito Santo abraba mente desses "Evangélicos"...Um Abraço a todos..

Tarso disse...

ossa como ninguém tinha visto isto antes, olhem o que eu percebi só agora.
descrição do jogo: “O Colheita Feliz é um jogo super viciante. Monte sua fazenda, plante e colha, crie animais e decore seu ambiente. Além de ter uma fazenda de verdade, pode invadir a fazenda de seus amigos para roubar frutos ou ajudá-los a manter a plantação livre de pestes e pragas. Você poderá comprar novas terras…”

Imaginem agora um Juiz, que preza pela ordem e civilidade, especializado em assuntos web. Como um magistrado poderá deixar que exista um “game infantil” que incentiva a pratica de crimes virtuais?
Só falta aparecer o santo. O milagre já tá pronto.
VAmos fazer de tudo para esse Jogo DO DIABO ACABAR..

B disse...

Gostaria de saber pq é pecado...então jogos de game de computador e video game e play, são todso pecados também??

André Gomes disse...

Olá B,
A questão não é se jogar video game e play é pecado ou não, mas sim o sentimento que é despertado na outra pessoa (nesse jogo especificamente).

B disse...

Então...se eu jogar a colheita feliz, tipo roubar dos outros sem sentimento de "roubo", como se eu tivesse tirando igual em um game de play ou qualquer outro jogo, tipo até jogo de damas , xadrez vc rouba as peças...seria pecado também? Pq até acho meio estranho a explicação do jogo, deveria ser, tipo, vc colhe antes do vizinho e tals, mas não rouba, acho q essa palavra que é meio pesada. Mas te pergunto então, em qualquer jogo a gente quer derruba o adversario, mas nem por isso a gente vai ter um sentimento de raiva..sei lá..fiquei encucadão com isso.

André Gomes disse...

Olá B,
Você chegou à questão chave do jogo. Nós sabemos o significado de roubar a luz das Escrituras. Se mudassem o termo seria melhor. Sobre o sentimento de raiva, se o seu adversário é levado a ter esse sentimento quando joga com você, aconselho a não jogar com ele e procurar outro que tenha o mesmo sentimento que há em você, o de divertimento.

Ŧá๒เ๏ єเ๔เ disse...

Graça e Paz amado! O jogo em si não tem problema, o problema são os atos de roubar ( os hipócritas ainda dizem que estão fazendo um favor pro irmão , colhendo pra ele) lamentável. Não julgo ninguém , porém os fatos estão aí acontecendo...saciando a alma, o ego do "povão de Deus" Muitos não me ouvem porque não tenho as siglas pr ou ap à frente do meu nome,lembrando que todos somos seres humanos sujeitos ao pecado. Muitos se conformaram com as coisas do mundo. qdo a bíblia diz pra não se conformar. Muitos roubam mesmo, qdo um dos mandamentos é não furtar...afinal é só um jogo ¬¬
Mais o caráter de um cristão e o pecado não é um jogo, é real, e o "povão de Deus" nem liga pra isso.
Belo post, quem anda no espírito recebe e diz amém!
Paz varão, que a sabedoria de Deus permaneça em ti , para Glória de Deus!!! Shalom!